Ouvindo uns aos outros – no lar e no local de trabalho

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on email
Share on print

30/3, terça-feira

OUVINDO UNS AOS OUTROS

Comunhão depende de comunicação.

Somente quando falamos e ouvimos uns aos outros é que os nossos relacionamentos progridem e amadurecem, ao passo que quando paramos de ouvir um ao outro, eles desmoronam. Existe no livro de Provérbios uma forte ênfase na necessidade e valor de ouvirmos uns aos outros.

Pv 12.15; cf. Pv 13.10; 15.12,22; 20.18

O caminho do insensato parece-lhe justo, mas o sábio ouve os conselhos.

Pv 15.31; cf. Pv 9.8; 17.10; 25.12; 27.5

Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios.

Pv 18.15

O coração do que tem discernimento adquire conhecimento; os ouvidos dos sábios saem à sua procura.

Essa necessidade de ouvir aplica-se a cada esfera da vida, desde o lar e o trabalho até o estado e a igreja.

Ouvindo no lar

As crianças e os jovens precisam dar ouvidos aos seus pais.

Pv 1.8

Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe.

Os pais também precisam ser humildes o suficiente para ouvir os seus filhos — caso contrário, nunca irão compreender os problemas deles. Somente com paciência e ouvir mútuo é que se pode construir a ponte entre as duas gerações.

Marido e esposa precisam ouvir um ao outro. Quase todo rompimento matrimonial é precedido de quebra de comunicação. Qualquer que seja a razão (negligência, fadiga, egocentrismo ou pressão dos negócios), marido e mulher já não tiram mais tempo para ouvir um ao outro. Assim, acabam se afastando e as incompreensões, suspeitas, lamentações e ressentimentos vão aumentando, até que se torna tarde demais — se bem que, na verdade, nunca é tarde demais para se começar a ouvir novamente.

Ouvindo no local de trabalho

A arte de ouvir é incluída nos livros e seminários sobre gerenciamento de negócios.

Ouvir é importante especialmente em situações de conflito. Sempre que há uma questão trabalhista, é quase certo que ambos os lados têm um pouco de razão. Nenhum dos lados é totalmente egoísta ou totalmente louco. A essência da conciliação, portanto, está em persuadir cada um dos lados a ouvir o outro lado. Às vezes criam-se situações de surdez quase total e falta de compreensão de ambos os lados. Em vez de ouvir, as pessoas preferem gritar umas com as outras. Mas a reconciliação só é possível quando ambos os lados se dispõem a sentar juntos, deixar de lado os preconceitos e ouvir um ao outro.

ORE:

  • Para aprender a ouvir as pessoas a ponto de compreendê-las
  • Para que a sua família pratique a sabedoria de saber ouvir
  • Para que você saiba ouvir no ambiente de trabalho

ORE POR:

  • Dezinha e Família;
  • Pr. Maisel e Márcia
  • Miss. Victor Gabriel Cruz Bitencourt Guedes de Assis – Radical Cristolandia;
  • Miss. Samuel Hernández González – Cuba;
  • Congregação Batista em Porto do Capim – João Pessoa;
  • Desempregados;
  • Pais saibam educar os filhos

LEIA MAIS A BÍBLIA: